14 de Fevereiro – Dia de São Valentim

Lendas e contradições sobre a origem do Dia de São Valentim (Saint Valentine)
Nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, o Dia dos Namorados é chamado de “Dia de São Valentim” e é comemorado no dia 14 de fevereiro. 
No Brasil, comemora-se o Dia Dos Namorados no dia 12 de junho, uma forma de estimular as compras nessa época.
 
A comemoração teria se originado na Roma antiga, em 498 d.C. O padre Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras, acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.
Por descumprir as ordem do imperador, Valentim foi condenado à morte. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, muitos jovens jogavam bilhetes encorajadores em sua cela. Dentre esses jovens, veio de Astérias a filha cega de um carcereiro, por quem Valentim se apaixonou. Ele, milagrosamente, devolveu-lhe a visão.
Antes de partir, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Your Valentine” (“Seu Valentim”), expressão ainda hoje utilizada nos cartões de Valentine’s Day.
É bem provável, no entanto, que essa história toda seja apenas uma lenda.
 
Em 1969, a Igreja Católica deixou de reconhecer São Valentim, por não haver provas de sua existência. A Igreja só chegou a reconhecer o santo, no ano 5 D.C., para se apoderar das extintas festas pagãs lupercais, iniciadas no dia 15 de fevereiro. A atenção dos fiéis era desviada para as comemorações de São Valentim.
Na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta da amada.
 
SEGUNDO A IGREJA CATÓLICA…
 
Sabe-se muito pouco sobre São Valentim. Existem duas ou três fontes sobre isso. A Martiologia Católica mantém a execução de dois servos de Deus, chamados Valentius. Um padre e um outro bispo, em meados do século III, foram entregues nas mão do imperador romano. Pela tradição da Igreja, são lembrados como São Valentim, comemorados no dia 14 de fevereiro. Mas pouco se sabe deles.
 
O bispo que nós recordamos como São Valentim acredita-se estar enterrado onde, hoje, é a Basílica de São Valentim em Terni- Itália – cidade na qual se acredita que ele tenha nascido.
 
Segundo o site do Santuário, a evidência arqueológica indica claramente que restos mortais cristãos foram enterrados nesse local que parece ser do bispo a quem lembramos como São Valentim e os outros cristãos.
 
Para ver as origens das celebrações do Dia de São Valentim, relacionadas com o amor, temos que deixar Roma e o segundo século. A história nos conduz ao século XIV, na Inglaterra, durante o reinado do Rei Henrique II e a um poeta de língua inglesa chamado Geoffrey Chaucer, um católico famoso por conta das viagens de peregrinos a Jerusalém narrados nos seus contos de Canterbury.
 
Estudiosos da Idade Média listam sua poesia como o início da celebração do amor, da corte e do casamento em conexão com São Valentim. Na verdade, Jack B. Oruch em um artigo no “Speculum”, Jornal da Academia Medieval da América, afirma que não há nenhum argumento convincente de que nem mesmo um poema de Valentim, precedido pelos coetâneos de Chaucer, consequentemente tenha influenciado os deste [Chaucer].
 
A tradição que parece começar com os poemas de Chaucer no mundo de língua inglesa, aparentemente se espalhou pela França e continua até nossos dias. No final do século 20 é creditada à indústria americana de cartões de saudação a continuação da promoção das celebrações que vemos hoje.
 
A Enciclopédia Católica narra que a conexão com “namorados” está enraizada no comportamento dos pássaros descrito no poema “Parliament of Foules” de Chaucer . Neste poema ele descreve como os pássaros escolhem seus parceiros na primavera e relaciona isso ao amor humano.
 
Segundo a Wikipedia, que coloca as palavras de Chaucer em conexão com um outro São Valentim, bispo mártir de Génova, que morreu por sua fé no início do século IV, sua festa é 2 de maio, próximo do tempo em que as aves surgem para escolher um parceiro, diferentemente da data de 14 de fevereiro, que é de aproximadamente um mês antes do fim do inverno no Hemisfério Norte.
 
14 de fevereiro já não é o dia reservado para São Valentim desde o Concílio Vaticano II. Hoje, é o dia em que celebramos os grandes irmãos e santos missionários da Europa Oriental. Cirilo e Metódio.
 
Como católicos lembramos Dia de São Valentim como a celebração do amor citado por Geoffrey Chaucer, que nos conduz ao sacramento e à vocação do matrimônio, enquanto que Jesus nos ensina, em Marcos, que o casal que deixa o pai e a mãe se torna uma só carne.
 
Embora os santos Valentins não sejam fontes de conexão para a moderna celebração do romance, do amor e casamento, têm seus nomes associados com o poderoso sacramento do serviço, chamado matrimônio, o qual é o fundamento da sociedade, não só católica como também da sociedade civil.
 
ORAÇÃO A SÃO VALENTIM
 
“Ó Jesus Cristo, Salvador nosso, que viestes ao mundo para o bem das almas dos homens, mas que fizestes tantos milagres para dar saúde ao corpo, que curastes cegos, surdos, mudos e paralíticos; que curastes o menino que sofria de ataques e caía na água e no fogo; que libertastes aquele que se escondia entre os túmulos do cemitério; que expulsastes os maus espíritos dos possessos que espumavam; peço-vos, por intermédio de São Valentim, a quem destes o poder de curar os que sofrem de desmaios e ataques, livrai-nos da epilepsia.
São Valentim, peço-vos especialmente que restituais a saúde a (nome do doente). Fortalecei-lhe a fé e a confiança. Dai-lhe coragem, ânimo e alegria nesta vida, para que possa render-vos graças a vós, São Valentim e adorar a Cristo, o divino médico do corpo e da alma.
São Valentim, rogai por nós”
(Oração: Via Ilumina – compartilhando a fé católica)
 
O Dia dos Namorados nos Estados Unidos
 
Nos Estados Unidos a data é comemorada por namorados, casados, noivos, amigos e pessoas que se amam (entre pais e filhos também é comum). Os que se amam demonstram, nesta data, todo seu amor através da troca de cartões, flores, chocolates e presentes. Os cartões costumam ser confeccionados pela própria pessoa, o que dá um toque bem criativo e pessoal a data.
 
Curiosidades 
 
> A taxa de natalidade do dia 14 de fevereiro teve um aumento considerável nas últimas décadas. Isso porque, com a adoção das cesarianas pelas gestantes, é possível marcar a data do parto com antecedência. Curiosamente, no Dia das Bruxas (31 de outubro), essa taxa é cada vez menor.
 
> Cerca de 35 milhões de chocolates em forma de coração são comprados no mundo na data. São produzidas 8 bilhões de balas em forma de coração todos os anos. Enfileiradas, elas fariam o percurso Estados Unidos – Itália vinte vezes. Os namorados trocam 50 milhões de rosas todos os anos no Valentine’s Day (75% delas são compradas por homens).
 
> Os norte-americanos compram 1 bilhão de cartões no Valentine’s Day. É o maior volume de vendas de cartões do ano (supera até os tradicionais cartões de Feliz Natal). Quem mais recebe esses cartões, nessa ordem, são: professoras, filhos, mães, esposas, namoradas e bichos de estimação. 
 
> A cidade italiana de Verona, palco do romance “Romeu e Julieta” de William Shakespeare, recebe no dia 14 de fevereiro milhares de cartas endereçadas a Julieta.
 
> Até mesmo um filme sobre a data já foi produzido em Hollywood e possui um elenco repleto de estrelas, incluindo Taylor Swift. (Fontes: Wizar Idiomas; Wikipédia e Canção Nova).

By Pax – Carmen Balhestero – www.pax.org.br