Chanucá – 5774 – novembro de 2013 – por Jane Ribeiro

A Festa de Chanucá terá início no dia 28 de novembro, e neste ano de 2013 a primeira vela será acessa no por do sol do dia 27 (início do dia 28 pelo calendário lunar – 25º dia do mês de Kislev).

A festividade comemora a preservação do espírito de Israel, que nada mais é do que a preservação do espírito da luz, tão maculada naqueles tempos pela corrupção no Templo Sagrado entre sacerdotes e gregos.

O líder dessa revolta foi Matityahu bem Yochanan HaCohen, Matatias, o filho de Yochanan, que era o sumo sacerdote do Templo Sagrado.

Essa revolta foi uma revolta religiosa, espiritual com a intenção de resgatar a pureza não somente do Templo Sagrado, mas também da conexão do ser humano com o divino e com a fé.

Ele e seus filhos derrotaram o exército grego em Jerusalém, limparam o Templo Sagrado de toda idolatria, de toda magia negra e de toda corrupção, e resgataram sua indispensável pureza como uma casa para o divino.

Segundo a Cabala o Templo Sagrado representa o RECIPIENTE, um transformador cósmico que ATRAI a Luz Infinita, a energia cósmica infinita, e a transforma de acordo com as necessidades específicas de cada nação, de cada pessoa no mundo, para que todos recebam a Luz de forma adequada.

Matityahu bem Yochanan Hacohen foi fiel a sua alma e a alma do Universo, representada pelo Templo Sagrado.

Quando a Luz voltou ao Templo Sagrado, trouxe uma consciência além da natureza robótica do ser humano, que segue a lei da causa e efeito, mas o ser humano tem que aprender como transcender sua natureza para que a Luz possa entrar na sua vida.

Quando a Luz entra somos levados a uma dimensão além da lei da causa e efeito, e assim surge o conceito de milagre.

Falando em milagre temos outro evento que aconteceu em um dia 25, não de Kislev, mas sim de dezembro, quando nasceu Mestre Jesus.

Não vamos entrar na discussão se Mestre Jesus nasceu em 25 de dezembro ou 8 de setembro, mas o que importa é que o inconsciente coletivo celebra nesse dia, e esse dia tem uma força muito grande.

Mestre Jesus significa o renascer, o resgatar a pureza da alma, a liberdade do espírito, a unidade perfeita entre corpo, mente e coração.

Chanucá também significa purificação.

Os dois eventos, que este ano acontecem com um intervalo de quase um mês, trazem a força do divino, a luz de Biná, e já é tempo de celebrarmos os dois eventos com a consciência certa, transcendendo as barreiras do tempo, com a certeza de que nos dois eventos a Luz foi despertada, a luz brilhou intensamente para iluminar as mentes e os corações da humanidade que, infelizmente, não se deixou envolver pela força desses eventos e retornou a escuridão, ao ego/personalidade.

Essa batalha está em tempo de findar. O ser humano está pronto para receber a Luz de Mestre Jesus, a Luz de Chanucá, para deixar definitivamente de lado a separação, a dor, o sofrimento, o egoísmo e a doença, e viver em paz na liberdade do espírito que só a Luz contém.

*baseado nos ensinamentos do rabino Joseph Saltoun

Acendimento da Chanuquiá

A Chanuquiá, candelabro de 8 braços, deve ser acessa diariamente após o aparecimento das estrelas, com exceção da véspera do Shabat.

Num lugar de destaque do candelabro há uma vela auxiliar chamada shamash. Ela é usada para acender as demais velas.

Na sexta-feira à noite as velas devem ser acessas antes do pôr-do-sol e antes de se acender as velas do Shabat.

No sábado as velas só podem ser acessas depois do término do Shabat.

Na primeira noite, que este ano acontecerá dia 27 de novembro- acende-se a vela da extrema direita e, em cada noite seguinte acrescentam-se mais uma e, assim sucessivamente.

A primeira vela a ser acessa é sempre a nova procedendo-se da esquerda para a direita. Acrescenta-se uma nova vela do lado esquerdo da primeira.

É essa que primeiro deverá ser acessa.

Todos os membros da família devem estar presentes na hora do acendimento do candelabro.

Acendendo a chanuquiá

Primeiro acende-se a shamash, depois se pronunciam as seguintes bênçãos:

BARUCH ATÁ ADONAI, ELOHÊNU MELECH HAOLAM, ASHER KIDESHANU BEMITSVOTAV, VETSIVANU LEHADLIC NER CHANUCÁ.

Bendito sejas Tu, Adonai, nosso D´us, Rei do Universo, que nos santificastes com Teus mandamentos, e nos ordenaste acender a vela de Chanucá.

BARUCH ATÁ ADONAI, ELOHENU MELCH HAOLAM, SHEASSÁ NISSIM LAAVOTENU, BAYAMIM HAHEM, BAZEMAN HAZÊ.

Bendito sejas Tu, Adonai, nosso D´us, Rei do Universo, que fizeste milagres para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época.

Na primeira noite, depois de recitar as duas bênçãos recita-se o shehecheyanu:

BARUCH ATÁ ADONAI, ELOHENU MELECH HAOLAM, SHEHECHEYANU VEKIYEMANU VEHIGUIYANU LAZEMAN HAZÊ.

Bendito sejas Tu, Adonai, nosso D´us, Rei do Universo, que nos deste vida, nos mantiveste e nos fizeste chegar até a presente época.

Na segunda noite, e em todas as outras subseqüentes recita-se:

BARUCH ATÁ ADONAI, ELOHENU MELCH HAOLAM ASHER KIDESHANU BEMITSVOTAV VETSIVANU LEHADLIC NBER CHANUCÁ.

Bendito sejas Tu, Adonai, nosso D´us, Rei do Universo, que nos santificastes com Teus mandamentos, e nos ordenastes acender a vela de Chanucá.

BARUCH ATÁ ADONAI, ELOHENU MELECH HAOLAM, SHEASSÁ NISSIM LAAVOTENU, BAYAMIM HAHEM BEZEMAN HAZÊ.

Bendito sejas Tu, Adonai, nosso D´us, rei do Universo, que fizeste milagres para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época.

Em seguida acendem-se as velas da chanuquiá como shamash.

Após acender as velas, coloca-se o shamah à esquerda da chanuquiá, de modo que fique mais alto do que as chamas da chanuquiá e recita-se:

HANEROT HALALU ÁNU MADLIKIM AL HANISSIM VEAL HAPURKAN VEAL HAGUEVUROT VEAL HATESHUOT, VEAL HANIFLAOT, SHEASSITA LAAVOTENU, BAYAMIM HAHEM, BAEMAN HAZE, AL YEDE COHANECHA HAKEDOSIM. VECHOL SHEMONAT YEME CHANUCÁ, HANEROT HALLAU CODESH HEM, VEEN LANU RESHUT LEHISHTAMESH BAHEN ELA LIR´OTAN BILVAD, KEDÊ LEHODOT LISHMECHA, AL NISSECHA, VEAL NIFLEOTECHA, VEAL YESHUOTECHA.

Acendemos estas luzes em virtude das redenções, milagres e feitos maravilhosos que realizaste para nossos antepassados, naqueles dias, nesta época, por intermédio de Teus sagrados sacerdotes. Durante todos os oito dias de Chanucá, estas luzes são sagradas, não nos sendo permitido fazer qualquer uso delas, apenas mirá-las, a fim de que possamos agradecer e louvar Te grande nome, Teus milagres, Teus feitos maravilhosos e tuas salvações.

Desejo a todos uma maravilhosa Festa de Chanucá com muitas bênçãos e milagres.

Shalom,

Jane Ribeiro