A Lua Nova de Câncer: Rompendo a casca em volta de nossos corações

Por Karen Berg

“Um coração amoroso é a verdadeira sabedoria” –Charles Dickens

Gêmeos é um signo de ar, governado pelo intelecto, ao passo que o mês de Câncer está totalmente relacionado com as emoções. Sendo um signo de água, a natureza inerente de Câncer nos chama para vivenciarmos os aspectos mais profundos de nosso ser.
Câncer é governado pela Lua e, assim, as pessoas nascidas sob esse signo podem ser as mais sensíveis de todo o zodíaco. De fato, uma de suas missões espirituais aqui na Terra é encontrar uma maneira de equilibrar suas fortes emoções. Devido aos seus centros de água, os cancerianos têm uma tendência a formar uma casca para protegê-los de serem feridos. É por esse motivo que é tão apropriado o caranguejo ser o animal que representa esse signo.

A ideia espiritual deste mês é que, se formos capazes de romper nossa casca e sair dela, teremos o potencial para vivenciar a maior de todas as liberdades: amor incondicional. Infelizmente, a maior casca que abrigamos – e a mais difícil de nos livrarmos – é a casca que criamos em torno de nossos corações.

Quando temos um coração fechado, nossa tendência é julgarmos demais os outros e a nós mesmos. Sentimos que nossa vida é sem graça e repetitiva. Somos cínicos, temos medo de tentar coisas novas e nos sentimos sobrecarregados com as incertezas da vida. Talvez o pior de tudo seja nossa dificuldade de permitir que os outros sejam parte de nós, e que sejamos parte deles.
Por outro lado, quando nosso coração está aberto, nos sentimos em harmonia com os outros e com o universo. Temos menos medo do futuro ou do passado. Somos capazes de olhar para os demais com amor em vez de julgamento e somos capazes de compartilhar a alegria e o sofrimento deles. E o melhor de tudo é que temos a capacidade de sentir a presença da Luz do Criador em nossas vidas.

Em resumo, o poder de um coração aberto é muito maior do que imaginamos. Pode afetar cada aspecto de nossas vidas e das vidas dos que nos rodeiam.
Então, vamos abrir nossos corações este mês?

Bem, pensando nisso, para que uma árvore nasça, temos que pegar uma semente, enterrá-la na terra escura e fria e cobri-la com terra. A casca externa em torno da semente precisa ser rompida, porque somente depois dessa ruptura é que a semente pode expandir-se para fora e para cima.
Um processo semelhante acontece com a casca em volta de nossos corações. Para rompê-la, precisamos primeiro entrar na escuridão para sentir a dor e a limitação de viver com um coração fechado. A partir dessa tomada de consciência, podemos construir dentro de nós o desejo de romper nossa casca e, se tivermos sorte, nosso coração sairá da casca em direção à Luz, sairá do “eu” em direção ao ”nós”. Não, esse não é um processo fácil (crescer espiritualmente nunca é), mas temos muitas ferramentas que podem nos ajudar.
Aqui estão algumas sugestões práticas:
1. Dedique diariamente um tempo para escanear o Zohar e meditar para abrir seu coração. (Se você não tiver um Zohar físico, visite www.zohar.com)
2. Aprecie as bênçãos em sua vida.
3. Faça um esforço consciente de permanecer aberto às experiências da vida.
4. Veja o amor nas outras pessoas. É fácil julgar as pessoas e ver seus defeitos. Mas todos nós temos defeitos. Deus não nos fez perfeitos. Quanto mais nos colocarmos na dimensão do amor, ao escolhermos ver o que há de bom nos outros, maiores nossas chances de vivenciar um coração aberto.