Brilhando através do Labirinto

10/11 de Agosto de 2014: Super Lua Cheia em Aquário
Sarah Varcas
08/ 08/ 2014

A Lua estará cheia às 6:10h GMT no dia 10 de agosto de 2014, a 19 graus de Aquário. (*)

(*) Nota Stela – no Brasil, o perigeu será às 17h43 e a lua cheia às 18h10 

Esta Lua Cheia é uma Super Lua (no seu ponto orbital mais próximo da Terra) do tipo mais exato e poderoso. Não é uma Lua para ser encarada irrefletidamente. Em sua luminosidade, ela fala de forças cármicas, jornadas iniciáticas e profunda transformação.

Sua energia pode parecer pesada e opressiva para alguns. Neste caso, devemos nos perguntar de onde esse peso está vindo e por quê. Este questionamento honesto e sincero nos ajudará a identificar onde nossa própria energia está bloqueada ou prestes a ficar bloqueada, presa a aspectos de nossa vida e identidade que precisam ser disponibilizados para uma transformação curadora.

Esta Lua Cheia liga-nos, através do tempo linear, a 18 e 19 de fevereiro de 2015, quando teremos uma Lua Negra em Aquário (a segunda Lua Nova em um mês solar). O espaço de tempo entre hoje e esse momento é um período iniciatório de grande importância, pois faz parte da conclusão da quadratura entre Urano e Plutão, em curso desde 2012.

Hoje em dia, muitas pessoas levam as mãos à cabeça cada vez que um astrólogo fala de mais mudanças, e gritam: “Já não tivemos o suficiente?!” 

A resposta só pode ser a seguinte: “Nem de perto!” 

Pensem nisto – se o ciclo de mudanças parasse agora e ESTE se tornasse o status quo, o que teríamos? Um mundo em crise, um planeta cheio de conflitos e um meio-ambiente que continua sendo destruído por interesses que não reconhecem o quanto todos nós estamos interconectados.

É certo que, ao mesmo tempo, temos mais movimentos por mudanças, muitos trabalhando pela paz, e um número cada vez maior de pessoas procurando viver de um modo mais sábio e num estado mais desperto… mas, mesmo assim, ainda é preciso muita mudança para levar este planeta e toda a vida que nele existe a um estado de equilíbrio, que nos permita assumir um novo modo de vida e crescer exponencialmente.

E embora, como indivíduos, nós possamos sentir que já fizemos tudo o que podemos, já suportamos mais do que o suficiente e acolhemos praticamente toda mudança possível, precisamos nos conscientizar de que não fazemos parte deste processo como indivíduos, mas como um microcosmo no macrocosmo que ainda está em processo de nascimento, o qual exige energia, comprometimento, coragem e disposição para enfrentar o que quer que seja.

Percebo que tudo isto parece um tanto negativo, mas esta Lua não tem nada a ver com negatividade. Na verdade, trata-se da libertação da negatividade e uma mudança de percepção que podem nos tornar aptos a seguir em frente com o coração mais leve e a mente mais livre.

Entretanto, se estivermos pensando que, para nos sentirmos melhor, precisamos apenas de uma determinada mudança nas circunstâncias, então é possível que fiquemos desapontados. Esta Lua não é para mudar circunstâncias externas e sim para modificar nossa paisagem interna, de modo que os exteriores de nossas vidas nos pareçam menos pesados.

Na realidade, esta Lua nos pergunta:

“Por que você enxerga a mudança como algo problemático? Por que você supõe que chega um ponto em que as mudanças param? Por que você procura desafiar as leis naturais de nascimento, crescimento, declínio e morte, desejando cristalizar um momento no tempo, um estado de ser, um conjunto desejável de circunstâncias, que ultrapasse seu tempo natural de vida?”

Estas são questões fundamentais e se dirigem ao cerne do engano que cometemos com tanta frequência, quando examinamos nossas vidas – o erro de acreditarmos que a vida se resume a nós, em vez de reconhecermos que nós somos vida e que a vida, por sua própria natureza, é movimento, mudança, fluxo e refluxo.

A vida existe num estado de tensão dinâmica entre nascimento e morte, seguido de mais nascimento e mais morte.

Estagnação não é vida, mas morte, imutável, imóvel. Estagnado é o que espírito se torna quando tentamos nos agarrar, controlar e formatar nossas vidas, para que fique do jeito que achamos que deveria ser. Estagnados é o que nos tornamos quando acreditamos na mentira de que a mudança é ruim, o controle é bom e a vida se resume a seguirmos nosso próprio caminho.

Esta Super Lua está prestes a destruir, de uma vez por todas, um monte de crenças e ideais antigos. Ela nos convida a prestar atenção em como nossa mente funciona e no poder que lhe damos sobre nós.

Ela nos estimula a reconhecer, com cada fibra do nosso ser, que não precisamos acreditar em nenhum pensamento que passa pela nossa cabeça, se não quisermos. E precisamos escolher muito bem e com grande discernimento, porque aquilo que ocupar nossa mente nos próximos meses moldará nossa vida quando chegar a Lua Negra em meados de fevereiro de 2015.

Esta Super Lua é o momento da concepção para aquilo que nascerá em fevereiro próximo.

Portanto, fazer uma revisão dos nossos processos de pensamento, no momento desta Super Lua, será algo extremamente poderoso.

Se conseguirmos trazer nossa atenção para aquelas coisas que ocupam mais a nossa mente – as histórias que contamos para nós mesmos, as crenças que moldam nossas percepções, os dogmas que absorvemos de outros, as construções mentais apresentadas como verdades sobre as quais baseamos nossa identidade… ou outras – se pudermos simplesmente nos sentar como testemunhas silenciosas de todas essas coisas, poderemos criar um espaço ao redor dos nossos pensamentos, que nos permita ficar apenas observando-os, sem acreditar neles, testando-os antes de nos alinharmos a eles.

Costuma-se dizer que “para onde a atenção vai, a energia flui.”
Esta Super Lua em Aquário, o signo do pensamento radical, nos fala de outra forma.

O poder não está no fato de colocarmos a atenção em algo, mas na qualidade da atenção que colocamos. Se costumamos observar sentimentos dolorosos com mente e coração que alimentam o drama e se identificam com a dor, então, sim, nossa atenção é problemática.

Entretanto, se trazemos aos sentimentos ou questões dolorosas um coração abrandado, uma perspectiva compassiva, paciência, percepção e um desejo de conhecer a natureza da dor tão profundamente que realmente passamos a conhecê-la, então nossa atenção torna-se o caminho para a libertação.

Não precisamos afastar o olhar daquilo que magoa ou parece negativo. Isto apenas o empurra para a sombra, onde se manterá pronto para retornar em algum outro dia. Podemos olhar para isso, sentar com ele, senti-lo, preenchê-lo com atenção compassiva e, finalmente, curá-lo.

Criar esse espaço em nossa própria mente – que efetivamente é uma célula minúscula na vasta consciência coletiva – é semelhante a introduzir ar fresco num quarto antes trancado, ou a luz do sol num espaço antes escuro.

Todos nós acreditamos facilmente demais em todo movimento de nossa mente e, assim, ela dirige nossa vida, não no interesse da verdade, mas nos interesses das energias com as quais é alimentada: medo, separação, ansiedade, poder.

A mente é o domínio do ego e se quisermos equilibrar ego e espírito, agora é essencial conhecermos nossa mente em vez de sermos seu refém. Por isto esta Lua em Aquário, o signo da regeneração mental e novas perspectivas.

Qualquer resistência interna que encontremos no momento desta Lua nos oferece uma pista sobre onde focalizar nossa atenção. Se conseguirmos abordá-la com uma consciência penetrante e uma atitude questionadora, poderemos começar a desfazer as crenças básicas que mantêm essa resistência.

Finalmente, essas crenças poderão nos levar a uma emoção fundamental que sustenta cada momento nosso, colorindo nossa vida, geralmente desde o berço até a morte. Portanto, a cura começa com a aplicação de uma percepção delicada e determinação de não vacilar diante da nossa dor interna.

Compaixão e coragem em igual medida nos conduzem para fora do labirinto da mente e da emoção, para a luz da clareza e da sabedoria.

Esta Super Lua brilha sobre esse labirinto e através dele. Ela nos convida a explorar a verdadeira natureza da nossa mente e da informação que ela nos transmite de maneira tão perfeita, que a acolhemos e chamamos de “eu”.

Os pensamentos não são “eu”. Da mesma forma que os carros que passam na estrada diante da minha janela, os pensamentos estão apenas passando. Reconhecer este fato pode ser a coisa mais importante a se fazer à luz desta Super Lua Aquariana.

Sarah Varcas

Por favor, respeite todos os créditos ao compartilhar.
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/08/brilhando-atraves-do-labirinto.html
Fonte: http://astro-awakenings.co.uk/10th11th-august-2014-full-super-moon-in-aquarius
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br