image

FESTIVAL WESAK

por Heloísa Lassálvia

Estamos nos aproximando do dia mais forte do ano energeticamente, FESTIVAL DE WESAK, ILUMINAÇÃO DE BUDA E ILUMINAÇÃO DA HUMANIDADE, esta celebração sempre ocorre na lua cheia do signo de touro, que em 2018 ocorre em 30/4/2017, às 21h59, horário de Brasília.

Sugerimos acender velas brancas e amarelas e colocar flores em casa nestas cores. Também é sugerido o jejum (só líquidos: sucos e sopas, para quem não conseguir jejum total) para elevar a frequência de vibração do corpo e absorver melhor as Bençãos derramadas sobre o Planeta.


É o festival mais importante da Grande Fraternidade Branca Universal, quando na Lua Cheia de Maio é celebrado um cerimonial que ao contrário do Festival de Ásala que é realizado no plano Etérico, o Wesak efetivamente é realizado no plano físico ocasião única em que Mestres Ascensionados materializam-se e abençoam toda a humanidade. O exato local onde é realizado é desconhecido, sabendo-se apenas que é em algum ponto no Deserto de Góbi, local que em tempos remotos foi erguido o Templo Sagrado de Shambala. Apenas raríssimos discípulos encarnados são convidados a participar dessa celebração.

Alguns momentos antes do plenilúnio, Mestre Paulo Veneziano, o Maha Chohan (Grande Diretor Divino e o Espírito Santo para a Terra), inicia o Festival reunindo os membros da Grande Fraternidade Branca Universal. Cantam então, passagens da doutrina budista implantada por Lorde Gautama quando este iluminou-se. Ao término dessas cantigas materializa-se Lorde Maitréya, que é o Cristo Cósmico, o Buda do Futuro, o Buda da Evolução que alimenta e mantém a Chama Divina acessa em nossos corações.

Lorde Maitréya inicia o ritual dirigindo os presentes em movimentos e troca de posições que vão formando diversos símbolos sagrados.

No exato momento do plenilúnio, flutuando acima de todos adeptos, surge dentro de uma esfera de luz, o Senhor do Mundo, Lorde Gautama, que é reverenciado com cânticos de seus ensinamentos.

Nesse momento Lorde Maitréya eleva uma taça contendo água e gesto idêntico fazem todos os presentes. Essa água contém todas as energias com as quais o Planeta Terra e toda a humanidade são abençoados na irradiação do Amor, da Compaixão e da Iluminação.

Todos na Terra recebem esse caudal de bênçãos de energias e mesmo inconscientemente sentimos por alguns momentos paz profunda e um enorme estado de graça e todo o Planeta resplandece em luz dourada como um grande sol.

RITUAL

1 – Prepare um altar ou mesa com uma toalha amarela, laranja, dourada ou branca, flores e incensos.
2 – No centro do altar coloque uma taça, um cálice ou um copo com água.
3 – Na frente da taça, acenda uma vela dourada, amarela ou laranja.
4 – Musica ambiental.
5 – Harmonize-se com bons pensamentos e faça uma oração
6 – No exato momento do plenilúnio Lua Cheia de Touro, 10 de maio, às 18h44, erga com as duas mãos a taça de água (este é o momento máximo das energias de bênçãos irradiadas no Festival de Wesak).

Nota: Se não for possível realizar o ritual no plenilúnio, escolha um horário conveniente para você. Sugerimos os horários quadrantes: 6 – 9 – 12 – 15 – 18 e 21 horas do primeiro dia da entrada da Lua Cheia de Touro. Porém aonde estiver no horário do plenilúnio, pare o que estiver fazendo por alguns momentos e concentre-se nas irradiações que está recebendo.
7 – Faça silêncio mental.
8 – Sele este momento sagrado emitindo 9 vezes o Mantra OM.

Observação: Consagre sua casa ou seu local de trabalho com as energias do Festival máximo de bênçãos irradiadas da Grande Fraternidade Branca Universal, respingando a água da taça em todos os ambientes, ou ainda, você pode utilizar a água como bebida salutar trazendo paz, harmonia e equilíbrio para os quatro corpos inferiores.

ORAÇÃO

Bem Amado Lorde Gautama,
Bem Amado Lorde Maitréya,
Bem Amado Maha Chohan, Paulo Veneziano,
Mestres Ascensionados e
Membros da Grane Fraternidade Branca Universal:

Neste Dia Sagrado de benção maior para o Planeta Terra e toda a humanidade e em comunhão crística com todos os Seres de Luz, elevo, sobre a minha cabeça, um cálice de Luz Dourada de Iluminação, unindo-me aos Planos Superiores de Luz para junto Convosco e em total confraternização de Paz, Amor e Harmonia com todos os seres de todos planos e dimensões, declaramos A GRANDE INVOCAÇÃO, a oração que os Mestres fazem:

“A GRANDE INVOCAÇÃO”

Do ponto de Luz na mente de Deus,
que flua Luz às mentes dos homens,
e que a Luz desça à Terra.
Do ponto de Amor no coração de Deus,
que flua amor ao coração dos homens,
que Cristo retorne à Terra.
Do centro onde a vontade de Deus é conhecida,
que o propósito guie as pequenas vontades dos homens,
propósito que os Mestres conhecem e servem.
Do centro a que chamamos a raça dos homens,
que se realize o plano de Amor e de Luz
e feche a porta onde se encontra o mal.
Que a Luz, o Amor e o Poder
restabeleçam o Plano Divino sobre a Terra
hoje e por toda a eternidade. Amém.

Nota: Silencie a mente por alguns momentos e emite novamente 9 vezes o Mantra Om.


O FESTIVAL DE WESAK TIBETANO por Heloísa Lassálvia

Em Dharamsala, Norte na Índia, onde vive grande parte dos exilados tibetanos, a comemoração (Puja) do Festival de Wesak é realizada por milhares e milhares de pessoas vindas de toda Índia para celebrarem o nascimento, vida e morte do Príncipe Sidharta Gautama, o Buda SAKYAMUNI (o Buda do Presente).

Nas doutrina budista existem três escolas:

– Hinayana = que significa “Estreito caminho”.
– Mahayana = que significa “Grande caminho”.
– Vajrayana = que significa “Caminho do meio”, escola essa criada no Tibete

No Budismo Tibetano da escola Vajrayana, são celebrados e invocados os Bodhisattwas (seres iluminados). O mais conhecido e venerado é AVALOKITESWARA, o Compassivo (Buda do Passado), do qual os Dalai Lama ( Chefe espiritual cujo título significa Oceano de Sabedoria) são considerados reencarnações sucessivas. Tenzin Gyatso, atual Dalai Lama é a 14a encarnação de Avalokiteswara.

O Bodhisattwa Avalokiteswara no Tibete toma a forma de CHENREZIG, o Buda da Compaixão Infinita. O aspecto feminino da compaixão é conhecido na Índia como TARA, na China como KWAN-YIN, no Japão como Deusa KANNON e no Tibete DOLMA TARE.

MAITRÉYA (Índia e Ásia) ou MAITRI (China e Japão) ou ainda CHAM-PA (no Tibete) é o Buda do Futuro, aquele que representa a Nova Era de Aquário.

Também são venerados no Budismo Tibetano os Bodhisattawas: VAJRASATTVA, MANJUSHRI entre outros.

MANTRAS USADOS NO BUDISMO TIBETANO VAJRAYANA

-Mantra para a remoção de obstáculos que impedem a atuação da compaixão em nós. Invocação a Tare: OM TARE TUTTARE TURE SOHA que em sânscrito significa “o amor divino ancorado em Tare e nas outras, ancore em nós (Soha). Assim seja”.

-Mantra para ancorar a Compaixão. Invocação a Avalokiteswara ou Chenrezig: OM MANI PÉME HUM (em pronúncia tibetana ) ou OM MANI PEDME HUM ( em sânscrito, na Índia). Significa “a jóia divina da compaixão ancorada no coração do Lotus.

-Mantra para a clareza mental. Invocação para Maitréya ou Cham-pa: OM MUNI MUNI MAHAMUNIYE SWAHA CHAM-PA. Significa “a Divina Fraternidade e Paz em nós com o controle, controle, máximo controle e equilíbrio de nossa mente.

-Mantra para Cura. Invocação ao Buda Shakyamuni, o Buda da Medicina (na forma do Buda da Iluminação todo azul): OM AH HUM BHAISHAYE, BHAISHAYE-RÁJA SWANA. Significa: Três Raios Divinos de Luz para a Cura, para a Cura, para a aclamação da Cura”.

-Mantra para o Equilíbrio e Harmonia. Invocação a: Vajra Pani (Índia e Ásia): porta 1 vajra em cada mão e Vajrasattwa (Tibete) : porta 1 vajra no coração. Vajra ou Dodge simboliza o cetro da harmonia e do equilíbrio: OM VAJRASATTWA HUM. Significa em sânscrito “a harmonia e equilíbrio ancoram em nossos corações (os três chacras superiores e os três inferiores sejam purificados e ancorados no centro, no chacra cardíaco”.


 “EU VEJO E QUANDO O OLHO ESTÁ ABERTO TUDO É LUZ”

“Nenhum preço que seja exigido será demasiado elevado para ser útil à Hierarquia no momento da Lua Cheia de Touro, o Festival Wesak; nenhum preço é demasiado elevado para obter a iluminação espiritual possível, particularmente neste momento.” ~ Mestre Djwhal Khul ~(Mestre Djwal Kul, ensinou a prece : A GRANDE INVOCAÇÃO à Alice Bailey da Sociedade Teosófica e pediu que ela a propagasse.)


O SIGNIFICADO DO FESTIVAL DE WESAK
Maio de 1942

O FESTIVAL DE WESAK é a celebração mais importante da Grande Fraternidade Branca Universal que se realiza na Lua Cheia de Touro. É uma data móvel. Duas grandes correntes de energia – uma sintoniza Buda e a outra Cristo – No Ocidente, os esoteristas estão aumentando a ênfase sobre a Lua Cheia de Maio, a qual é o Festival do Buda. Houve duas razões principais pelas quais se fez este esforço, a partir de 1900.

Uma foi o desejo, por parte da Hierarquia – Mestres da Fraternidade Branca Universal, de levar a atenção do público para o fato dos dois Avatares, o Buda e o Cristo, ambos do segundo Raio de Amor-Sabedoria, os quais foram os primeiros da nossa humanidade a surgir como Avatares humano-divinos e a corporificar em Si Mesmos certos Princípios cósmicos, dando forma a eles.

O Buda corporificou o Princípio de Luz e, devido a esta Iluminação, a humanidade foi capaz de reconhecer o Cristo, o qual corporificou o Princípio de Amor Incondicional.

Buda demonstrou a consumação da matéria como o meio de atingir a Luz, daí Seu título de “O Iluminado”. O Cristo corporificou a energia subjacente de um nova Consciência, e estes dois juntos apresentam um Todo perfeito.

A segunda razão foi dar início, ao tema da nova religião mundial. Este tema, no futuro, será subjacente a todas as observâncias religiosas, colorirá todas as abordagens ao centro divino de vida espiritual, dará a chave para todos os processos de cura e – utilizando a luz cientificamente – governará todas as técnicas para produzir Unidade Consciente em relação entre um homem e sua alma, e entre a humanidade e a Hierarquia da Fraternidade Branca Universal..

O primeiro objetivo foi definitivamente alcançado.

Durante o WESAK, Lua Cheia de touro, milhões de pessoas em todas as partes do planeta dirigem seus pensamentos para Buda, procurando estar sob Sua influência e benção, bem como as Bençãos de toda a Hierarquia da Fraternidade Branca em Seu retorno anual, embora breve, para abençoar a humanidade. Este reconhecimento crescerá até o momento não muito distante no futuro em que terá finalizado Seu período de serviço e não mais retornará, porque o Avatar que vem tomará Seu lugar nas mentes e nos pensamentos dos povos do mundo.

A Sua tarefa de recordar continuamente aos aspirantes sobre a possibilidade da iluminação e Seu trabalho de manter um canal aberto para que a luz se irradie sobre as mentes dos homens, penetrando, todos os anos, na substância luz para a Terra estão quase concluídos; quase chegou o momento em que “nessa luz veremos a Luz”.

Reflitam sobre estas duas funções que Buda desempenhou. Há uma terceira que, em colaboração com o Cristo, Ele possibilitou: trata-se do estabelecimento de uma relação mais facilmente alcançada entre a Hierarquia e Shamballa, facilitando assim a impressão da Vontade de Deus sobre as mentes dos homens, por meio das Bençãos da Hierarquia – Mestres da Fraternidade Branca Universal.

Interpretamos esta impressão até agora em termos do Plano Divino, que no momento atual se expressa no agudo reconhecimento dos homens de todas as partes sobre a necessidade de estabelecer corretas relações humanas, culminando nos objetivos pelos quais as Nações Unidas estão combatendo,verbalizados para a humanidade por dois grandes temas mundiais : As Quatro Liberdades e A Carta do Atlântico.

As Quatro Liberdades se relacionam basicamente com os quatro aspectos do eu inferior, o quaternário. Os esforços do Buda permitiram que penetrasse Luz suficiente para levar ao reconhecimento mundial a necessidade dessas fórmulas; e já há amor suficiente no mundo, liberado pelo Cristo, para possibilitar a viabilização das fórmulas.

Respaldem-se nessa certeza e – em plena prática no plano físico – demonstrem a verdade disso. Disse “possibilitar”, pois a elaboração está nas mãos do Novo Grupo de Servidores do Mundo e nos homens e mulheres de boa vontade. Será que se mostrarão adequados para a tarefa? Será que se prepararão mentalmente para o árduo esforço necessário?

Qual é agora a tarefa que o Buda atribuiu a Si mesmo nesta próxima Lua Cheia?

Buda corporifica a força que pode estimular os homens de todas as partes a focar sua “intenção em massa” e deste modo alcançar simbolicamente “o ouvido e o coração” do Avatar, arrancando assim do lugar secreto do Altíssimo a assistência, a ajuda e o reconhecimento dirigido que impulsionarão um acontecimento fenomenal no seu devido e apropriado tempo.

Enquanto Ele procura fazer isto, o Cristo Se unirá ao esforço, focando em Si Mesmo o espírito de apelo, à medida que é evocado pelo estímulo que está sendo aplicado pelo Buda. Ele corporificará esse apelo através da prece : A Grande Invocação,

Responderá a humanidade à evocação do Buda? Sua intenção em massa será suficientemente vital para permitir ao Cristo transformar-Se, de uma maneira misteriosa, no próprio Espírito de Invocação em nome deles? São essas as possibilidades que temos diante de nós nesta Lua Cheia de Maio.